Arquivo da tag: Músculos

E quando o joelho dói?

O joelho é uma articulação entre o osso da coxa (Fêmur) e um dos ossos da perna (Tíbia) e entre o osso da coxa (Fêmur) e a patela, que é um osso pequeno. Possui ligamentos (ligamento cruzado anterior e ligamento cruzado posterior) que estabilizam a articulação, auxiliados pelos meniscos (lateral e medial) que estabilizam o joelho e amortecem os impactos sobre as cartilagens. Os ligamentos estabilizam a articulação para movimentos anteriores e posteriores e os meniscos para movimentos de um lado para outro.

A dor no joelho pode ser causada por lesões nas estruturas do joelho como as bursites, subluxação, condromalácia, tendinite patelar ou joelho saltador, osteocondrite dissecante, patela bipartida, plica sinovial, lesão do corno anterior do menisco, menisco discóide, distrofia simpático reflexa e lesões do ligamento cruzado anterior, mas pode ser causada também por problemas sistêmicos, ou seja, do organismo como um todo, como no caso das infecções, tumores, doenças ósseas e reumatológicas.

Dor no joelho

O que é a Plica?
Plica é um tecido remanescente embrionário que separa a bursa suprapatelar da cavidade interna do joelho, persiste na fase adulta em 70% dos humanos.
A plica pode desenvolver dor em pacientes que iniciam atividade física de maneira intensa e com muita solicitação do joelho, que inflama esta membrana. A dor geralmente ocorre na região anterior do joelho, no meio da patela e é desencadeada quando o paciente permanece por longo período sentado com o joelho dobrado ou quando sobe e desce escadas ou rampas.Quando comprimimos a plica há dor e um espessamento na borda medial da patela.
O tratamento é feito com repouso da articulação, diminuição da atividade física e reabilitação com uso de meios físicos que promovam calor, eletroterapia e exercícios de alongamento e fortalecimento específicos. Na maioria dos casos, há uma boa resposta, se isto não ocorrer é indicada a remoção através da artroscopia da plica.

Plica inflamada

Joelho de Saltador ou Tendinite Patelar
Dor na região anterior do joelho e acontece frequentemente em atividades esportivas com atividades de desaceleração dos saltos e corridas em terrenos irregulares. De qualquer forma, acontece devido à sobrecarga, ao aumento do impacto nos joelhos repetidas vezes.Também pode acontecer em pessoas que apresentam alteração congênita da patela e que favorece o aparecimento da tendinite.
As principais causas são o treino inadequado, ou local de treinamento impróprio para a atividade, alongamento insuficiente e mal alinhamento das extremidades, o joelho varo ou valgo, ou anterversão.Não está relacionado a traumas.
O tratamento com adequação do treino, seu local, alongamentos específicos para os grupos musculares envolvidos, eletroacupuntura e meios físicos melhoram os sintomas com exceção àqueles que apresentam mal alinhamento das extremidades. Nestes casos, podem ser usadas órteses, mas não há resultados animadores; os pacientes precisam ser orientados que estas atividades poderão levar a outras lesões.

Salto em distância pode levar à Tendinite Patelar

O que é Condromalácia da Patela?
A musculatura que extende o joelho (músculos que formam o quadríceps: retofemural, vasto lateral, vasto intermédio e vasto medial), que é o movimento que faz o chute, fica alterada e leva a uma incompatibilidade articular(ela não fica encaixada).
Os sintomas mais comuns são dor na face anterior do joelho(na frente) e “travamento”, mas ao subir e descer escadas ou ficar muito tempo sentado a dor é na face posterior(atrás)do joelho. É frequente ter atrofia (fica mais fina) da coxa (quadríceps) e raramente há inchaço.
O tratamento é conservador. Os exercícios de fortalecimento para a coxa são fundamentais para melhora dos sintomas. Os meios físicos com calor e estímulos elétricos são analgésicos.

Chute é a extensão da perna com força!!!

Adolescente tem dor no joelho?
Adolescentes podem ter dor e inchaço no joelho, principalmente os meninos esportistas. Os sintomas aumentam com a atividade física e melhoram com o repouso.A causa é a osteocondrose que não se sabe porque acontece.
O tratamento é diminuir as atividades, fazer calor no local, eletroterapia e reabilitação muscular.

Adolescente esportista pode ter dor e inchaço nos joelhos!

Qual é a importância do Menisco do Joelho?
O menisco é uma articulação do joelho que auxilia na estabilidade do mesmo. A ausência do menisco leva a uma alteração no funcionamento do joelho e consequente artrose antes do tempo.
Os sintomas da lesão meniscal são bloqueio ou travamento dos joelhos quando dobra ou extende as pernas associado com dor na linha lateral do joelho.
O tratamento inicial deve sempre ser reabilitador, com meios analgésico e reabilitação muscular.Quando não há melhora com o tratamento de reabilitação adequado, deve ser indicada a cirurgia.

Menisco do Joelho

E o famoso Ligamento Cruzado Anterior?
O ligamento cruzado anterior é um ligamento (tipo de cartilagem) que estabiliza o joelho, ele impede que a perna deslize para frente do joelho. O paciente tem muita dor quando anda e o joelho fica instável.
O tratamento da sua lesão é cirúrgico, mas a reabilitação depois da fisioterapia é fundamental para a melhor performance do joelho.
A ruptura do ligamento cruzado posterior é menos frequente e a principal queixa é a dor e não a instabilidade do joelho.
O melhor tratamento será decidido após a avaliação clínica do paciente.Pode ser cirúrgico ou somente de reabilitação.
A lesão do ligamento colateral medial tem tratamento conservador, quando associadas a outras lesões, a conduta depende da experiência do cirurgião..
O "carrinho" do futebol pode causar lesões ligamentares!

E artrose de Joelhos?
Veja Post “Artrose é doença de idosos?” e no Post “Tratamento da Artrose”.

Acupuntura melhora a dor?

A Acupuntura é muito praticada e ensinada em vários países. No Brasil, é reconhecida como ESPECIALIDADE MÉDICA desde 1995 e, portanto, é um ato médico, não deve ser realizada por outros profissionais de saúde.
É uma terapia eficaz visando analgesia em muitas doenças, principalmente nas dores músculo-esqueléticas, pois diminui a freqüência da dor e sua intensidade, o que ajuda no tratamento de reabilitação.

Acupuntura é uma Especialidade Médica

A Medicina Tradicional Chinesa- MTC (uma das mais antigas formas de medicina oriental) é utilizada há mais de 5 mil anos e a Acupuntura é uma das terapias utilizadas. A MTC tem natureza filosófica e tem como base o reconhecimento das leis fundamentais que governam o funcionamento do organismo humano e sua interação com o ambiente segundo os ciclos da natureza. A MTC procura aplicar esta compreensão tanto ao tratamento das doenças quanto à manutenção da saúde através de diversos métodos. Inclui entre seus princípios o estudo da relação de Yin/Yang, da teoria dos cinco elementos e do sistema de circulação da energia pelos Meridianos do corpo humano. O Yin e o Yang são aspectos opostos de todo movimento no universo. No corpo do homem existe um equilíbrio que pode ser alterado por diversos tipos de influências, como alimentar, comportamental e muitas outras, o que ocasiona doenças. A Teoria dos Cinco Elementos é baseada na natureza : terra, água, metal, madeira e fogo. A energia é chamada de Chi e circula no nosso organismo através de meridianos, como o sangue percorre nas artérias e veias.

Yin/Yang e os 5 Elementos da Natureza

A Acupuntura é realizada através da aplicação de agulhas, em pontos definidos do corpo, chamados de “Pontos de Acupuntura” ou “Acupontos”, para obter efeito terapêutico em diversas condições. Nestes pontos a energia ou Chi está estagnada devido ao problema que o paciente apresenta, com a estimulação destes pontos o Chi volta a circular pelos meridianos.
Atribui-se o nome “Acupuntura” a um jesuíta europeu que retornando da China, no século XVII, adaptou os termos chineses “Zhen” e “Jiu”, juntando as palavras latinas “Acum” (agulha) e “Punctum” (picada ou punção).
Os pontos e meridianos também podem ser estimulados por outros tipos de técnicas. Na verdade, os pontos de Acupuntura podem ser estimulados por agulhas, dedos (acupressão, método do Shiatsu e pode ser feito por terapeutas), o laser, o stiper (do inglês Stimulation and Permanency – Estimulação Permanente, com aparelho de eletroacupuntura),ventosa ou pelo aquecimento promovido por moxa (“longo tempo de aplicação do fogo”) ou um bastão de artemísia em brasa(aproximado da pele).
Acupuntura com agulhas
Eletroacupuntura

Acupuntura com pressão dos dedos (Shiatsu)

Acupuntura com Moxa

Acupuntura com Ventosas

Acupuntura com Laser

É importante alertar que a Acupuntura não é uma terapia que objetiva curar qualquer dor. Ela auxilia no tratamento de reabilitação da dor, pois a analgesia que proporciona, diminui as doses e duração da medicação.Além disso, promove relaxamento muscular facilitando a reabilitação muscular e melhora o sono e humor do paciente.
Existe algumas contra indicações da Acupuntura, são elas:
• embriaguez,
• intoxicação de qualquer espécie, inclusive por medicamentos.
• Após esforços físicos muito grande.
• Em jejum.
• Pacientes que usam anticoagulantes ou tem problemas de coagulação- risco relativo.
• Hemorragias.
• Gripes ou infecções
• Nos primeiros dias da menstruação ou logo após o coito.
• Gravidez.
• É contra-indicado o uso de agulhas em crianças de menos de seis anos idade.
• Hepatite C e B.

Se você tem Dor Crônica e nunca fez acupuntura, peça indicação ao seu MÉDICO, ele poderá te encaminhar para este tratamento e você poderá se beneficiar da Medicina Tradicional Chinesa.

Mito da “Dor do Ciático” ou Síndrome do Piriforme?

É muito comum ouvirmos queixas de dor na região lombar ou glúteos irradiadas para a perna como “dor do ciático”. Na maioria das vezes isto é apenas a forma como as pessoas conseguem descrever a localização da sua dor devido ao fato de conhecerem o mito da “Dor do Ciático”.
Para entendermos o que está causando a dor nesta região, precisamos conhecer que é realmente esta “Dor do Ciático”.
O nervo Ciático é o mais longo do corpo humano, ele se estende desde a região lombar (entre a L4 e L5) até o dedão do pé e durante este trajeto atravessa alguns músculos, inclusive um músculo profundo na região glútea, o músculo PIRIFORME (este músculo realiza a rotação lateral da coxa).

Trajeto do  Nervo Ciático

A “Dor do Ciático” é aquela causada por uma compressão de sua raiz nervosa, localizada na região lombar (L4 e L5), na maioria das vezes causada por uma hérnia discal (Não por um abaulamento ou protusão!!!).
Veja a diferença entre hérnia, protusão e abaulamento no Post “Hérnia Discal” e aprenda sobre seus sintomas e tratamento em “Causas e Conseqüências da Hérnia Discal”.
A compressão do nervo ciático pode ser evidenciada pela Eletroneuromigrafia que mostrará uma radiculopatia na região de L4 e L5. Neste caso, podemos chamar de “Dor do Ciático” ou “Ciatalgia”.

Compressão do Nervo Ciático

A SÍNDROME DO PIRIFORME é causada por trauma no local (cair sentado, por exemplo), hiperlordose (nas grávidas principalmente, ver Post “Deformidades na Coluna causam dor?”), em atletas (maratonistas, ciclistas e praticantes de spinning) e hábitos posturais não saudáveis (como ficar muito tempo sentado e dormir em posição fetal). Acontece devido a uma contratura deste músculo (ver Post “Síndrome Dolorosa Miofascial”) que comprime o nervo ciático em seu trajeto na região glútea.

Dormir na posição fetal pode desencadear a Síndrome do Piriforme!!

Os sintomas da Síndrome do Piriforme são dor em região lombar, e/ou sacral, com irradiação para a região póstero-lateral da coxa, podendo se estender até o pé. Esta dor piora com a posição sentada por período prolongado (principalmente quando o paciente cruza as pernas), ou ficar em pé por período prolongado ou ainda, durante uma corrida. Eventualmente os pacientes podem sentir formigamento ou dormência na localização da irradiação da dor. A reprodução da dor pode ser conseguida através de manobras específicas que mimetizam a função deste músculo e através da palpação deste músculo realizada por um especialista.

O nervo ciático passa pelas fibras musculares do músculo piriforme!

A Síndrome do Piriforme deve ser avaliada por um médico Fisiatra, pois pode ser confundida com outras patologias como a hérnia de disco, tumor em coluna ou pélvico, artrose de quadril e até mesmo fratura de colo de fêmur (Veja no Post “Síndrome Dolorosa Miofascial” seus sintomas, causas e tratamento).
O tratamento da Síndrome do Piriforme é feito com o diagnóstico correto dos músculos acometidos (eventualmente outros músculos podem apresentar Síndrome Dolorosa Miofascial concomitante), prescrição do tratamento medicamentoso (que depende do tempo de duração da dor, se ela é aguda ou crônica) e do tratamento de reabilitação que será realizado inicialmente com fisioterapia (através de analgesia com meios físicos, cinesioterapia e miofascioterapia), orientações ergonômicas, reeducação postural e posteriormente com exercícios físicos prescritos pelo médico Fisiatra. Em casos mais rebeldes, pode ser necessária a infiltração com lidocaína (anestésico local) no músculo para melhora do sintoma doloroso e facilitar o tratamento de reabilitação.

Alongamento  do músculo Piriforme e glúteos

Se você apresenta sintomas semelhantes aos acima descritos, procure um médico Fisiatra que pode diagnosticar precisamente os músculos envolvidos na dor, descartar outras patologias e orientar o tratamento de reabilitação e de prevenção de recorrência das dores.

Você tem Lombalgia Crônica?

A Lombalgia é a dor na região lombar da coluna vertebral.
Cerca de 90% da população vai apresentar pelo menos um episódio de dor lombar em sua vida. É um sintoma e não uma doença.
Nos países desenvolvidos é a principal causa de incapacidade em menores de 45 anos.
Acomete igualmente homens e mulheres. Com o passar dos tempos as mulheres começaram a sentir mais dor lombar devido à menopausa (parada do ciclo menstrual) e suas conseqüências como a Osteoporose (perda de cálcio no osso associado com alteração na arquitetura do osso).
É a segunda causa de procura de atendimentos médicos em decorrência de doenças crônicas. Seus números de faltas ao trabalho ultrapassam o câncer, o AVC (Acidente Vascular Cerebral) e a AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) na idade produtiva. Trata-se de um problema Médico e Econômico por seus elevados custos sociais: assistência médica, faltas no trabalho, diminuição da produtividade e do número de tarefas cotidianas, substituição de suas atividades por terceiros e afastamento do trabalho (temporário ou definitivo).

Dor em região lombar da coluna vertebral

A notícia boa é que a lombalgia é auto limitada, ou seja, o sintoma passa em 90% da população até a sétima semana após o aparecimento. Metade destes pacientes vai apresentar novo sintoma após um ano. Sabe-se atualmente que até 45% cronificam a dor.
APENAS 3% DOS CASOS DE LOMBALGIA NECESSITAM DE CIRURGIA.

Quem tem mais probabilidade de ter Lombalgia Crônica?
Os principais fatores de risco são:
1. Deformidades Posturais- na coluna (escoliose, cifose, hiperlordose) e em outros locais como nas pernas, ou tronco e cinturas deproporcionais
2. Sedentarismo
3. Obesidade
4. Doenças neuromusculares
5. Cirurgia lombar anterior
6. Doenças psiquiátricas
7. Problemas econômicos sociais.

Quais são as causas da Lombalgia?
Em 85% dos casos são devido a Síndrome Dolorosa Miofascial. Veja o post da Síndrome Dolorosa Miofascial.
Os outros 15% correspondem a doenças orgânicas específicas, doença inflamatória na coluna (doenças reumáticas como a artrose, lúpus e artrite reumatóide), câncer, hérnia discal (Veja o Post A Hérnia Discal), estenose do canal raquidiano (diminuição do canal por onde passa a medula espinhal- veja sobre a anatomia da coluna vertebral no post A Hérnia Discal), instabilidade das vértebras (devido a algum trauma) e infecções.
Estenose do canal lombar

Eu tenho Lombalgia o que devo fazer?
Procure um médico especialista em dor para fazer uma avaliação clínica e solicitar exames que sejam necessários para um diagnóstico correto. Na maioria das vezes são feitos Raio X (para avaliação de deformidades, sinais de osteoartrose, escorregamentos de vértebra, fraturas e câncer.Ressonância Magnética no caso de suspeita de hérnia e lesão medular.Tomografia Computadorizada é indicada na suspeita de estenose de canal raquidiano, fraturas e tumores ósseos.
Após o seu diagnóstico, você deverá fazer um tratamento multiprofissional de Reabilitação liderado por um médico Fisiatra com interação no tratamento medicamentoso, de reabilitação e alguns procedimentos (acupuntura e infiltração com anestésico) quando necessários. O Fisiatra que prescreve as medicações e determina as terapias que devem ser realizadas como cinesioterapia (fisioterapia com exercícios específicos para os músculos envolvidos), uso de meios físicos para analgesia (Gelo, TENS, Forno de Bier, Infravermelho, Ultrassom, Microondas, Ondas curtas), massagens musculares específicas(Holfing, miofascioterapia, etc…), terapia ocupacional (em casos de mais incapacidade), atividade física adequada (orienta o educador físico) e psicoterapia. Quando há indicação de cirurgia, o Fisiatra encaminha o paciente ao cirurgião e faz um tratamento muscular pré e pós operatório, para melhores resultados cirúrgicos.

Síndrome Dolorosa Miofascial ou Dor Muscular

É uma alteração muscular com dor muscular, bandas tensas musculares e pontos gatilhos (PGs).
Ponto gatilho é o local do músculo que desencadeia a dor e quando pressionado gera a dor referida pelo paciente.
Dor miofascial na região lombar
Não se sabe ao certo a causa da SDM, mas sabe-se que a falta de oxigênio, de irrigação sanguínea e o cansaço muscular estão envolvidos. Estas alterações musculares ocorrem devido a uma postura imóvel prolongada, movimentos repetitivos, posturas viciosas e estresse emocional.
A banda muscular tensa é o encurtamento das fibras deste músculo. Parecem “nós” embaixo da pele. Esta tensão muscular aumenta o cansaço do músculo e faz parecer que está fraco.
O ponto gatilho de um músculo pode induzir um ponto gatilho em músculos ao seu redor e também à distância, causando uma dor referida. Por exemplo- O músculo Piriforme, que fica abaixo dos glúteos pode causar uma dor somente no local e também pode irradiar a dor pela perna, a chamada Síndrome do Piriforme.
Síndrome do Piriforme

A SDM pode ser responsável por diversos tipos de dor crônica: lombalgia (dor na região lombar), cervicalgia (dor na região cervical), LER (lesões por esforços repetitivos), dores pélvicas, entre outras. Podemos dizer que a SDM pode estar associada a outras doenças como a artrose, fibromialgia, distrofia simpático reflexa, compressão nervosa por hérnia discal, neuropatias, e doenças em órgãos viscerais.
O diagnóstico é feito através da avaliação clínica de um médico especializado, geralmente um médico fisiatra, que tem um bom conhecimento de anatomia muscular e seus pontos gatilhos. Não há nenhum exame laboratorial ou de imagem que evidenciam a SDM.
Músculos
O tratamento da SDM deve ser feito com a avaliação e correção das causas das alterações nervosas, eliminar os fatores que contribuem para a perpetuação da dor, uso de medicações e tratamento de reabilitação.
O tratamento de reabilitação é baseado no equilíbrio muscular, com fisioterapia (com uso de aparelhos que aliviam a dor, alongamentos, fortalecimentos, massagem e correção postural), psicoterapia e até terapia ocupacional em alguns casos. Esta abordagem da reabilitação deve ser liderada pelo médico fisiatra que tem uma visão global e direciona para uma melhora funcional mais eficaz. Em alguns casos, o fisiatra opta pela infiltração do ponto gatilho com lidocaína (anestésico local), para obter analgesia, agilizar e facilitar a reabilitação.

Infiltração de paravertebrais na cervicalgia

O que é Fibromialgia?

FIBROMIALGIA
FIBRO/MIA/LGIA – Fibras/Musculares/Dor.
O nome FIBROMIALGIA significa dores nos músculos e tecidos conectivos fibrosos (ligamentos e tendões).

Músculos em posição de esgrima

O que é Fibromialgia?
A Fibromialgia pode ser chamada de Síndrome Fibromiálgica.
É considerada uma Síndrome porque apresenta vários sinais e sintomas que podem ocorrer em outras doenças também.
Os SINAIS são os achados físicos encontrados quando o médico examina o paciente e os SINTOMAS são as queixas relatadas pelo paciente quando conta sua história clínica.
É caracterizada basicamente por dores musculares generalizadas, cansaço, distúrbio do sono e do humor.
Acomete principalmente as mulheres de meia idade, mas pode acontecer em homens, adolescentes e crianças.

Quais as suas causas?
Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem desencadear a Fibromialgia.
Estão relacionados às mudanças hormonais, trauma físico, estresse emocional e outras doenças. Não se conhece o verdadeiro motivo da manifestação da Síndrome e como ela acontece.
Há estudos que dizem que estes pacientes apresentam um aumento da sensação dolorosa corpórea. Outros autores sugerem uma percepção anormal de dor no Sistema Nervoso Central que conseqüentemente aumenta a sensibilidade dolorosa.
Pesquisas relatam diminuição de alguns neurotransmissores (serotonina, l-triptofano, entre outros) que causam uma alteração do sono, do humor e aumentam a percepção de dor nestes pacientes.
A alteração do sono desencadeia aumento da fadiga e diminuição do GH( hormônio do crescimento) que é necessário para a reparação do tecido muscular que sofre microtraumatismos.
O descondicionamento físico gerado pelo imobilismo adotado pelos pacientes em defesa da sensação dolorosa aumenta a chance de microtraumatismos musculares com conseqüente dor e fadiga muscular.
A biópsia muscular revela um músculo descondicionado (falta de oxigênio) e sem sinais de inflamação, o que difere de doenças reumatológicas.

Como é feito o diagnóstico?

Desde 1990, a Fibromialgia foi mais bem definida através de um estudo que estabeleceu regras para seu diagnóstico.
Neste estudo, foi demonstrado que a dor generalizada e a dor em pontos dolorosos específicos estão presentes nos portadores de Fibromialgia, e que não são comuns em pessoas sadias ou com outras doenças com sintomas semelhantes.
A Fibromialgia não é detectada através de exames laboratoriais ou radiológicos conhecidos. Os exames são importantes para descartar outras doenças com características semelhantes. O diagnóstico desta Síndrome é puramente clínico, evidenciado através das queixas e exame físico do paciente feito pelo médico.
Pontos dolorosos dos critérios diagnósticos.
Não é bem conhecida pela maioria dos médicos e é muito confundida com outras patologias por apresentar sintomas encontrados em outras doenças. Existem pessoas que desconhecem esta manifestação e acreditam que estes sintomas sejam imaginários ou desprezíveis. Por ter sintomas generalizados, inespecíficos e semelhantes ao de outras doenças, comumente os pacientes são submetidos a várias avaliações complicadas e repetidas antes de identificar esta síndrome. Por este motivo, é importante procurar um médico que conheça esta condição.

IMPORTANTE A Fibromialgia afeta principalmente os músculos e seus locais de fixação nos ossos (tendões). Pode apresentar dor nas articulações, mas não leva à inflamação (artrite) e nem deformidades às mesmas.