Será que eu tenho uma LER?


A LER (lesão por esforço repetitivo) ou DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) é um conjunto de alterações nos músculos, tendões, articulações, nervos, vasos sangüíneos e até na pele relacionadas às atividades laborais. A LER está relacionada à dor e incapacidade funcional.
As principais síndromes (conjuntos de sinais e sintomas) clínicas são:
• Cervicalgias- são as dores na região cervical. Na maioria dos casos ocorrem devido à sobrecarga na musculatura desta região, posturas inadequadas por um longo período e estresse. (Ver Post “Síndrome Dolorosa Miofascial”). Eventualmente, alguns indivíduos apresentam hérnia cervical, ocorrendo em idade não comum e relacionada a atividades com muito esforço físico na região. (Ver Post “A Hérnia Discal”). Quando a dor da região cervical irradia para um dos braços é chamada de CERVICOBRAQUIALGIA.

Cervicalgia

• Tendinopatias- podem acontecer na região do ombro (supraespinhoso, bicipital), do cotovelo (epicondilites) e nos punhos (tenossinovite de Quervain). Quando existe inflamação é chamado de tendinite e sugere acometimento muscular além dos tendões. As tendinites e as tenossinovites acontecem devido a um aumento da tensão muscular, que aumentam o estresse na inserção e origem destas estruturas levando a uma diminuição da oferta de oxigênio e inflamação crônica (para você saber um pouco mais de anatomia e entender como isto acontece leia na página “Anatomia Locomotora”). As tendinopatias são causadas por exercícios excessivos, posturas viciosas, traumas no local e atividades repetitivas prolongadas com intervalos muito curtos, insuficientes para o repouso muscular.

Postura inadequada no computador

• Lesões do Manguito Rotador- causam dor nos ombros principalmente na abdução (afastar o braço lateralmente do corpo), rotação externa e elevação do braço. Esta dor pode irradiar para a região escapular (osso que parece uma pá nas costas) e braços. Há perda de função e pode até acontecer a capsulite adesiva (ombro congelado) ou a Síndrome Complexa de Dor Regional). É mais freqüente em trabalhadores de linha de montagem e naqueles que trabalham com o braço levantado acima da cabeça.

Linha de Montagem com braço elevado

• Flexores e Extensores dos Dedos- As tendinites e tenossinovites desta região são originadas por esforços repetitivos das mãos associadas à preensão com força.
•Epicondilites- são conseqüência de atividades repetitivas com força de punho e antebraço.

Epicôndilo medial e lateral

• Tendinite de Quervain- é conseqüência dos movimentos em que há desvio lateral do punho, muito comum com o uso de tesouras, alicates e torção de roupas.

Uso de tesoura pode ocasionar LER

• Síndrome dolorosa Miofascial – ver Post “Síndrome Dolorosa Miofascial”.
• Neuropatias Periféricas- na maioria das vezes são decorrentes de compressão de nervos. As mais comuns são:
1. Síndrome do Desfiladeiro Torácico- caracterizada por formigamentos, diminuição da sensibilidade, diminuição da força, músculos atrofiados, dor em ombro e braços e alteração de temperatura, cor e suor no braço acometido. Mais comum em trabalhadores que fazem transporte de carga pesada nos ombros ou trabalho com a cabeça elevada.
2- Síndrome do Pronador Redondo- dor espontânea na região do cotovelo e nos 3 primeiros dedos (polegar, indicador e anular). Ocorre em movimentos de giratórios do antebraço (parafusar por exemplo) e em indivíduos que fazem musculação sem orientação adequada.
3. Síndrome do Túnel do Carpo- dor, formigamento e até diminuição da força dos dedos da mão. Freqüente em indivíduos que digitam mal posicionados. (Em breve teremos um novo Post sobre Síndrome do Túnel do Carpo)
4. Distrofia Simpático Reflexa ou Síndrome Complexa de Dor Regional ou Causalgia- dor em caráter de queimação, latejamento, peso, choque, de grande intensidade, com diminuição de força, inchaço, suor excessivo, atrofia muscular e da pele e alteração de unhas e pêlos no local.

Distrofia Simpático Reflexa da Mão

TRATAMENTO DA LER
O Tratamento da LER é complexo e visa a readaptação do indivíduo às atividades profissionais.
Deve-se levar em consideração o fator causal e corrigi-lo através de medidas preventivas, terapêuticas e de remodelação do ambiente de trabalho.
A Reabilitação é tão essencial quanto o tratamento medicamentoso e integra a cinesioterapia (terapia através de exercícios específicos), acupuntura, uso de órteses quando necessário, terapia ocupacional (orienta a readaptação do ambiente e como praticar as atividades profissionais), ergonomia (correção de posturas inadequadas) e a Psicoterapia (essencial nos casos crônicos). Os programas educativos cognitivo–comportamentais apresentam resultados animadores.
A LER pode ocasionar dor crônica com incapacidade laboral e afetar sono, auto-estima, apetite, lazer, relacionamento com amigos e familiares. Por isso,o Médico Fisiatra deve considerar todas estas questões no tratamento de reabilitação, assim como os fatores perpetuantes e agravantes da dor.

Para saber se sua dor é uma LER, você deve procurar um Médico do Trabalho ou um Perito, que irá relacionar os sintomas e as alterações apresentadas com a sua atividade profissional. Uma vez diagnosticada a LER, o tratamento deve ser orientado por um Médico Fisiatra que vai indicar o melhor tratamento medicamentoso e de reabilitação conforme o caso. Este tratamento de reabilitação deve ser multiprofissional e visa melhora da qualidade de vida, melhora dos sintomas, readaptação e reabilitação social e profissional.

Anúncios

8 Comments

Alguma sugestão para os professores que têm que utilizar muito a lousa (principalmente com o uso de giz, antigas mesmo…), pois passamos cerca de 12 horas diárias com o braço para cima escrevendo, desenhando…???

    Olá, Ana!
    Primeiramente trabalhar 12 hs escrevendo em lousas com o braço para cima não é saudável para nenhum ombro!
    Vamos tentar amenizar as coisas para seu ombro:
    1- Tente evitar de escrever com a mão acima da linha da sua cabeça. Se isto não for possível o tempo todo, tente diminuir as vezes que isto acontece.
    2-Não escreva na lousa sem parar por mais de 10 minutos. Após os 10 minutos, distraia seus alunos e faça disfarçadamente alongamento para o braço e depois retorne à lousa.
    3-Quando algum aluno tiver dúvida, responda e se alongue.
    4-Divida tarefas: coloque um aluno com boa letra ou muito bagunceiro para colocar o exercício na lousa (observando sempre a boa pedagogia de ensino).
    5-Nos intervalos das aulas faça alongamentos para os braços e pescoço, não irá utilizar mais do que 2 minutos.
    6-Pratique atividade física regular com exercícios aeróbios e de alongamento.
    Se mesmo assim, apresentar sintomas de dor, procure um médico Fisiatra para uma avaliação e tratamento.

Olá, acho que estou com tendinite no braço direito, não consigo dormir a noite direito de tanta dor,as mãos parece que estar enchadas.Já tentei botar bolsa de gelo, já fiz exercícios com bolinha e por fim estou tomando ant-inflamatório e não estar adiantando. Me ajuda o que eu faço? Não aguento mais de tanta dor. Se possível me ajude. Ficarei grata.

    Olá, Monique!
    Sugiro que procure um médico fisiatra para fazer uma avaliação e identificar o que está causando estes sintomas. Assim, ficará mais fácil para determinar qual o melhor tipo de tratamento para o seu caso.
    Não fique tomando medicação sem orientação médica, pois você poderá apresentar outros sintomas devido ao mau uso de medicação.
    Boa sorte!

Estou em tratamento pela Sindrome do Desfiladeiro Toracico e Sindrome do Tunel do Carpo, tenho tido melhoras, mas sempre que tento alguma atividade repetitiva sindo as dores, cansaço, formigamento. Dia 31/08/10 tenho uma perícia médica referente a um processo que movo contra INSS, e baseada em experiência anterior, existem peritos com pouca experência nessas patologias, pois nem sempre o perito é especialista na área, e fazem o teste físico e não identificam tais patologias, mesmo com os exames e atestado do meu médico, ainda assim tive a triste experiência em uma dessas perícias não ter sido identificadas as patologias, e eu fico prejudicada com essas situações. O que posso fazer para ajudar os médicos com o diagnóstico? A perícia que vou ter foi solicitado pelo juíz.

    Olá, Cidinha!
    Na realidade o médico que vai te avaliar na perícia é teoricamente apto para fazer tal julgamento.
    Você levando os documentos solicitados para esta avaliação é o máximo que pode fazer, torça para ter sorte com o avaliador!
    Boa sorte!

Tenho quase tudo que é tipo de doença de ler: sinovite na face dorsal do punho esquerdo, espessamento do nervo mediano no túnel do carpo, tendinose no ombro direito e esquerdo, bursite nos ombros, tendinopatia dos flexores comuns do aontebraço. Ja tomei varios medicamentos antiflamatorios e nenhum tem me dado resultados satisfatorios. O que devo fazer. Venho afastado do trabalho passando pelo inss que sempre ma da alta e venho sempre recorrendo. Preciso de uma orirntação, o que fazer para conseguir me afastar pelo inss? Meu email é mendonca_monica@ig.com.br. Obrigada.

    Olá, Monica!
    Pelo que você descreveu, nenhumas das alterações acima ocasionam deficiências e irão te afastar do trabalho.O que pode acontecer, se você se empenhar é fazer um tratamento adequado com medicação e reabilitação, que irá controlar seus sintomas e assim, conseguir uma readaptação em seu posto de trabalho.
    Procure um médico Fisiatra se resolver fazer o tratamento e se quiser uma readaptação no trabalho, converse com um médico do trabalho.
    Boa sorte!

Deixe um comentário

Name and email address are required. Your email address will not be published.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <pre> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

%d blogueiros gostam disto: