Enxaqueca

Alimentação e Dor

O corpo humano renova 50 bilhões de células todos os dias, e cada uma delas, necessita de vários nutrientes para garantir seu funcionamento. Assim, cada órgão executa suas funções de maneira eficaz. A alimentação equilibrada e saudável é o combustível para o bom funcionamento da máquina humana.

O corpo humano é uma máquina que precisa de um bom combústível para ter o melhor desempenho!

Nos pacientes que sofrem de dor crônica, a dieta é ainda mais importante, pois um organismo equilibrado enfrenta melhor os efeitos secundários provenientes da dor.
A maioria destes pacientes com dor crônica, adotam imobilismos, ou seja, procuram não movimentar o local dolorido, o que favorece o sedentarismo e a obstipação. A dieta balanceada favorece a perda de peso e o funcionamento intestinal que por sua vez, podem intensificar a dor quando estão alterados.

A alimentação saudável é imprescindível para a saúde de nosso organismo!

Alguns nutrientes são responsáveis pela síntese dos neurotransmissores (mensageiros cerebrais) associados à sensibilidade da dor e à sensação de bem-estar.
Exemplos:

Triptofano e Serotonina
Os efeitos da dor podem ser diminuídos com o consumo de fontes alimentares ricas em triptofano, o aminoácido responsável pela síntese de serotonina. Ele é encontrado em alimentos como carnes magras, leite desnatado e banana, mas para ser sintetizado (se transformar em serotonina), precisa do auxilio das vitaminas C, B1, B2, B3, B6, do ácido fólico e do magnésio.

Biotina
A biotina atua no combate das dores musculares e o magnésio (mineral) pode minimizar os efeitos das dores de cabeça, pois atua como relaxante muscular.
Carboidratos
Outro elemento importante para a “fabricação”de serotonina é o carboidrato.
É recomendável que 50% a 60% da ingestão calórica diária seja composta por carboidratos, presentes nas frutas, pães, batata e cereais, de preferência os integrais.
Tome cuidado com o uso de açúcar não proveniente dos alimentos naturais, pois pode provocar uma sensação imediata de energia, mas o pico nos níveis de glicose no sangue depois leva à sensação de fadiga e moleza.
Minerais
A ingestão de alimentos ricos em magnésio (encontrados no espinafre, soja, caju, aveia e tomate), ácido fólico (laranja, maçã e folhas verdes), cálcio (leite, iogurte e queijos magros) e selênio (castanhas, nozes, atum e semente de girassol) ajudam a melhorar a sensação de bem estar e diminuem a intensidade da dor.

Vale lembrar que o efeito desses nutrientes não é imediato e a alimentação é apenas um dos pilares do tratamento. Se você tem dor crônica a reeducação nutricional é uma das partes do tratamento de reabilitação e deve ser indicada pelo médico e realizada por um nutricionista ou nutrólogo.

A pirâmide alimentar mostra a quantidade de alimentos que deve ser ingerida para uma alimentação saudável

Por outro lado, existem alimentos que são os vilões da história e podem favorecem o aparecimento de dor, a mais comum é a enxaqueca. A alimentação pode ser a causa de aproximadamente 20% das enxaquecas.
Alguns nutrientes que podem causar enxaqueca:
Aminas: Os alimentos que contêm aminas bioativas, tais como tiramina, feniletilanina, octamina, histidina e triptaminase podem desencadear crises.Exemplos de alimentos ricos em aminas são: Queijos maturados, cerveja, casca de banana, embutidos, repolho fermentado, molho de soja, chocolate, iogurtes, passas, figo, vinhos tintos e carnes defumadas.
– Cafeína: Alimentos ricos em cafeína provocam a constrição das artérias, causando assim a crise de enxaqueca. Cafeína está presente no café, coca-cola e chás.
Bebidas alcoólicas: Está relacionado ao conteúdo de histamina e tiramina (aminas) encontradas em vinho tinto e cerveja.
Lipídios e ácidos graxos: Níveis elevados de lipídeos plasmáticos e ácidos graxos livres, como o ácido linoléico e o oléico podem estar envolvidos no desencadeamento das enxaquecas vasculares. Exemplos: Nozes, castanhas e similares e alimentos ou pratos muito gordurosos.
– Aspartame: É um tipo de adoçante, o dipeptídeo do ácido aspártico e um metil éster da fenilalanina. É umas das substâncias com maior número de relatos como desencadeante de crises de enxaqueca.
Nitratos e nitritos: Presente nas carnes curadas (salame e presunto), peixes em conserva, patês e caviar.
Frutas cítricas: limão, laranja, abacaxi, assim como outras frutas, a banana, ameixa e abacate.
Vegetais: feijão, vagem e cebola.

Para as pessoas que sofrem de enxaqueca, é fundamental o tratamento médico especializado para se identificar a causa(qual alimento desencadeia sua crise) e tratar o sintoma da forma correta.
Cuide bem da sua saúde, faça as combinações adequadas e assim evite as tão incômodas dores de cabeça.
Se você tem mais dúvidas sobre dor de cabeça, leia o Post “As Terríveis Dores de Cabeça” neste site.

Anúncios

As Terríveis Dores de Cabeça

As dores de cabeça também chamadas de cefaléias ocorrem pelo menos uma vez na vida em 99% das mulheres e 93% dos homens.
Estima-se que 76% das mulheres e 57% dos homens apresentem pelo menos um episódio de dor de cabeça por mês.
Devemos lembrar que a cefaléia é sempre um sinal de alerta e por este motivo, devemos tentar relacionar o que causou esta dor de cabeça.
Podem ser primárias ou secundárias. As primárias são aquelas em que não há relação da dor com nenhum exame clínico ou laboratorial. Como exemplo, podemos citar a migrânea ou enxaqueca, a tensional e a cefaléia em salvas. As secundárias são aquelas originadas por outras doenças, por exemplo, a hipertensão arterial, infecções, derrames, alterações hormonais, etc…

A dor de cabeça é um sinal de alerta!!!!

CEFALÉIA TENSIONAL
É tipo mais comum de cefaléia.
Caracteriza-se por ser ocasional, de fraca ou média intensidade, em peso ou pressão (nunca latejante!), com duração de minutos ou algumas horas e que melhora com o uso de analgésicos comuns.
Ocorre geralmente após estresse emocional, ingestão excessiva de álcool e falta ou excesso de sono.
É a principal causa de abuso de analgésicos sem prescrição médica, o que pode levar ao desenvolvimento de uma cefaléia crônica.
O ABUSO DE ANALGÉSICOS LEVA A DOR DE CABEÇA?
O uso de analgésicos mais de duas vezes por semana, durante três meses seguidos, já induz a cronificação da dor. Esta cefaléia crônica induzida pelo abuso de medicamentos é diária, ocorre principalmente de madrugada e apresenta outros sintomas associados como fraqueza, náuseas, agitação, ansiedade, irritação, problemas de memória, dificuldade de concentração e anormalidades comportamentais como depressão e comportamento neurótico.
O tratamento profilático não apresenta bons resultados como outros tipos de cefaléias e estes pacientes podem apresentar uma crise de abstinência pela falta dos analgésicos com piora da cefaléia em até 4 semanas após a suspensão do uso dos medicamentos.

Se você costuma utilizar essas medicações de alívio com freqüência procure um especialista para evitar que esse quadro se instale.

Abuso de analgésico pode levar à cefaléia crônica

ENXAQUECA
A Enxaqueca ou Cefaléia Migrânea é geralmente uma dor latejante (na maioria das vezes), peso ou pressão, unilateral( na maioria das vezes), contínua, com duração de no mínimo 4hs até 3 dias (sem uso de medicação), de forte ou fortíssima intensidade com alguns sintomas associados como náuseas, vômitos, às vezes diarréia, fotofobia (intolerância à luz), fonofobia (intolerância à ruídos), osmofobia (intolerância a cheiros) e cinesiofobia(intolerância a movimentos). Podem ocorrer várias vezes no mês e até mesmo durante a semana. Quando estas crises de dor ocorrem mais de 15 vezes ao mês, recebe o nome de cefaléia crônica diária.

O que pode melhorar a enxaqueca?
O sono, colocar gelo e fazer compressão das têmporas pode aliviar a dor.
O que pode piorar a enxaqueca?
Alguns fatores podem agravar a dor durante uma crise de enxaqueca: abaixar a cabeça ou movimentá-la, principalmente se bruscamente; esforços físicos; esforço mental; e, muitas vezes, o decúbito.
O que é AURA?
Auras são fenômenos neurológicos transitórios que alguns pacientes costumam apresentar imediatamente antes da crise da Enxaqueca. A aura mais comum é a visual, o paciente enxerga manchas no campo visual. Essas manchas são compostas por linhas brilhantes, em ziguezague e que compõem um arco com a convexidade voltada para a parte externa do campo visual. Iniciam-se pequenas e vão se ampliando progressivamente dentro de minutos até uma hora, chegando a tomar toda a metade do campo visual. Outras auras freqüentes caracterizam-se por sensação de dormência de um membro, geralmente, nas pontas dos dedos, ou na língua ou lábios. Formas menos comuns incluem incapacidade temporária para falar (afasia) ou fraqueza (paresia) de um ou mais membros de um lado do corpo.

Aura visual na enxaqueca

A prevalência da enxaqueca na população mundial é de 18% nas mulheres, 8% nos homens e 4 % das crianças. É genética e estima-se que em 75% dos enxaquecosos há outro membro da família com enxaqueca.

COMO ACONTECE A ENXAQUECA?
A Enxaqueca acontece quando há liberação de um neurotransmissor (substância química que transmite informações através das células nervosas), no caso a noradrenalina, que desencadeia uma série de fenômenos que irão produzir substâncias irritativas e vasodilatadoras nas artérias extracranianas (as que nutrem externamente o cérebro), ocasionando assim a dor.
O diagnóstico da enxaqueca é clínico.

Você tem estes sintomas? Procure um médico para fazer uma avaliação clínica e um diagnóstico diferencial.

Vasodialtação das artérias extracranianas

CEFALÉIA CERVICOGÊNICA
Como o próprio nome diz, são as dores de cabeça originadas por contraturas dos músculos do pescoço. É uma Síndrome Dolorosa Miofascial de músculos do pescoço que irradiam dor para o crânio. (Ver Post “Síndrome Dolorosa Miofascial)
Geralmente é unilateral (apenas um lado da cabeça) e irradia para a testa e olho. É provocada por movimentação abrupta do pescoço e postura inadequada por período prolongado. A dor é em caráter de peso, com duração de horas a dias, de intensidade média ou forte e não cessa com qualquer medicação.
O diagnóstico é feito através da história clínica do paciente e com a palpação dos músculos envolvidos que reproduzem a dor quando pressionados.
Acredita-se que 15% das cefaléias são de origem cervical e podem ser aliviadas através da infiltração com anestésico local nestes músculos, feito pelo Médico Fisiatra.

Músculos cervicais envolvidos na Cefaléia Cervicogênica

CEFALÉIA EM SALVAS
São aquelas que apresentam um ritmo, são unilaterais, geralmente localizadas ao redor do olho ou nas têmporas e apresentam alguns fenômenos autonômicos associados como lacrimejamento, coriza (nariz escorrendo), vermelhidão do olho, inchaço da pálpebra, suor na face, agitação até ptose (olho fechado).
Acontece em 6% dos pacientes com cefaléia. Os principais fatores desencadeantes são álcool, medicações vasodilatoras, alergias, sono alterado, atividade física exacerbada e estresse (principalmente nos casos crônicos).
As Cefaléias em Salvas só respondem a analgésicos específicos e por este motivo é necessário a avaliação de um especialista.

A ACUPUNTURA PODE AJUDAR NAS CEFALÉIAS?
A acupuntura apresenta excelentes resultados no tratamento de algumas cefaléias. Entretanto, antes da acupuntura, é preciso ter um diagnóstico correto. A acupuntura melhora os sintomas (dor, ansiedade e tensão muscular) e se não for feito um diagnóstico correto, pode mascarar uma doença preexistente mais grave.

Acupuntura na Cefaléia Crônica

NESTE POST CITAMOS AS CEFALÉIAS PRIMÁRIAS MAIS FREQUENTES E DEVEMOS LEMBRAR QUE EXISTEM VÁRIOS TIPOS RAROS QUE NÃO FORAM CITADOS. AS CEFALÉIAS SECUNDÁRIAS NÃO PODEM SER ESQUECIDAS E GERALMENTE SÃO SINTOMAS DE PROBLEMAS QUE PRECISAM SER SOLUCIONADOS COM MAIS URGÊNCIA.
SE VOCÊ APRESENTA DOR DE CABEÇA, PROCURE UM MÉDICO PARA TER UM TRATAMENTO ADEQUADO.